Semana sobre Sustentabilidade e Resíduos Sólidos - Do lixão ao aterro sanitário.

中文   Français   Deutsch   Italiano   日本   English   Россию   Español

23 julho 2012


Os lixões são uma forma de disposição ambientalmente incorreta dos resíduos sólidos, pois não prevêem nenhum tipo de cuidado para evitar o impacto ambiental e os problemas de saúde pública. Pela Política Nacional de Resíduos Sólidos eles devem ser extintos no Brasil até 2014. Há ainda os aterros controlados, que são locais intermediários entre o lixão e o aterro sanitário.

A disposição final de rejeitos mais adequada é em aterros sanitários, locais preparados, com tecnologia capaz de evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança e reduzir os impactos ambientais. Os aterros sanitários adotam técnicas de impermeabilização do solo, para não contaminá-lo, assim como aos lençóis de água, fazem o cercamento para evitar a presença de pessoas e animais, a drenagem de gases que se formam na decomposição de matéria orgânica, da águas pluviais e do chorume, ou lixiviado. Além disso, cada deposição de materiais no local é coberta com uma camada de terra.


A unidade de compostagem é outra destinação segura que se pode dar aos resíduos sólidos orgânicos, isto é, aos restos de comida e outros materiais 13de origem animal ou vegetal. O processo de compostagem transforma o material orgânico em adubo e gás metano.

O Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) tem relação direta com o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab) em diversos aspectos. O tratamento adequado dos resíduos sólidos urbanos melhora a qualidade dos córregos e rios, por exemplo, facilitando o tratamento da água para o consumo. Por isso, o governo quer implantar uma política integrada entre os dois Planos, tanto que está criando o Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão dos Resíduos Sólidos (Sinir) no moldes do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), que já existe.

Além disso, os planos municipais de resíduos e de saneamento deverão estar interligados. Uma das relações entre os dois está no estabelecimento de prazo para a eliminação de lixões e a disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos até 2014. O Plano Nacional de Resíduos Sólidos tem relação também com os Planos Nacionais de Mudanças do Clima (PNMC), o de Recursos Hídricos (PNRH) e o de Produção e Consumo Sustentável (PPCS).

Fonte: Cartilha Sebrae Gestão de Resíduos Sólidos
Compartilhe:

Receba as notícias por e-mail!

Siga o Sou Eco nas redes sociais!

»Não deixe de ler:

Franklin Oliveira

Técnico em Meio Ambiente, Gestor Ambiental, Consultor Ambiental Autônomo, Auditor Interno de Sistema de Gestão Integrado nas normas ISO 9001:2008, ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:2007, atua na elaboração, implementação e acompanhamento de projetos e programas ambientais voltados à sustentabilidade, educação ambiental, impactos ambientais, gestão de riscos ambientais e gerenciamento de resíduos sólidos.

E-mail Canal no You Tube

Sou Ecológico - Muito Mais Eco
▲