Cerca de 1.200 animais usados como cobaias em pesquisas nos laboratórios da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), na Bahia, podem morrer de fome

中文   Français   Deutsch   Italiano   日本   English   Россию   Español

18 abril 2012


Estudantes fazem manifestação e impedem entrada na instituição na Bahia. Animais são usados como cobaia. Protesto de alunos dura uma semana.

Cerca de 1.200 animais usados como cobaias em pesquisas nos laboratórios da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), na Bahia, podem morrer de fome por causa do protesto realizado por um grupo de estudantes. A denúncia partiu de professores da instituição. Eles relatam que são impedidos de entrar na universidade  para alimentar os animais.

Os pesquisadores dizem que a limpeza do local e a alimentação precisa ser feita diariamente, mas a última vez que isso aconteceu foi há três dias. "Os animais vão entrar em inanição e eles começam a fazer autofagia, as mães comendo os filhotes, e isso vai causar um dano ao patrimônio público da Uefs", afirma a professora Marilene Rocha.

Protesto

Cerca de 40 estudantes ocuparam o restaurante universitário há uma semana, na cidade a 100km de Salvador. Eles denunciam falta de higiene e má qualidade dos alimentos servidos.

"Tentamos de todas as maneiras o diálogo. O grupo é muito intransigente, ele não faz o diálogo e até o momento, estamos em um impasse total. As negociações não avançaram de forma nenhuma", diz Genival Correa, vice-reitor da Uefs.

Na segunda-feira (16), os alunos, fecharam com sofás e pedaços de madeira a entrada principal da universidade. Por conta da manifestação, as atividades foram suspensas na instituição.

Os alunos exigem que as refeições sejam gratuitas não apenas para os alunos residentes, mas para os chamados "residentes excedentes", aqueles abrigados por outros nas residências da instituição (além do número de vagas). Eles questionam à gestão da universidade por que um restaurante particular funciona dentro da universidade estadual.

Por meio de nota, a administração central da Uefs informou que "não encontra reciprocidade nas tentativas de negociação". O documento diz ainda que o restaurante universitário da instituição é um dos melhores do país, no que diz respeito à qualidade dos alimentos, da variedade do cardápio e do preço.
A Uefs afirma também que no restaurante são oferecidas refeições (café da manhã, almoço e jantar) totalmente gratuitas para 300 estudantes. Além disso, são fornecidos 1.200 almoços subsidiados, ao custo de um real.

Compartilhe:

Receba as notícias por e-mail!

Siga o Sou Eco nas redes sociais!

»Não deixe de ler:

Franklin Oliveira

Técnico em Meio Ambiente, Gestor Ambiental, Consultor Ambiental Autônomo, Auditor Interno de Sistema de Gestão Integrado nas normas ISO 9001:2008, ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:2007, atua na elaboração, implementação e acompanhamento de projetos e programas ambientais voltados à sustentabilidade, educação ambiental, impactos ambientais, gestão de riscos ambientais e gerenciamento de resíduos sólidos.

E-mail Canal no You Tube

Sou Ecológico - Muito Mais Eco
▲