Resenha do filme: Sonhos - Akira Kurosawa

中文   Français   Deutsch   Italiano   日本   English   Россию   Español

01 novembro 2011


Elaboração: Franklin do Carmo Oliveira

SONHOS. Diretor Akira Kurosawa. : Região 4 - América Latina DVD (120 min.), 
Winsdescreen, color.

Nascido em 23 de março de 1910 no subúrbio de Tóquio, Akira Kurosawa foi um dos mais conhecidos diretores japoneses, antes de iniciar sua carreira ele serviu sete anos como assistente de diretor Kajiro Yamamoto. Kurosawa produziu vários filmes, dentre eles “Sonhos”, o filme é dividido em oito episódios “sonhos”, tendo como ator principal o próprio diretor que vivencia cada momento. Cada episódio alerta para a proteção do meio ambiente, mostrando a ganância e os erros cometidos pelos seres humanos.
O primeiro sonho “A Raposa”, mostra a mãe e seu filho, com o tempo chuvoso, a mãe avisa para seu filho que quando há chuva e sol, é época do acasalamento das raposas e que não deve ir à floresta, pois as raposas não gostam de serem observadas. Com sua curiosidade, o garoto desobedece à mãe e vai até a floresta para observar as raposas, escondido atrás de uma árvore, ele observa todo ritual até o momento que sente que foi visto e volta correndo para casa. Ao retornar para casa, sua mãe já o espera na porta e não o deixa entrar e lhe entrega um punhal, dizendo que ele só voltaria a entrar em casa depois que as raposas o perdoassem. O menino com o punhal em mãos começa a caminhar pelo pomar de flores até que se depara com outro arco-íris e assim se dirige ao mesmo em busca das raposas.
O segundo sonho “O Horto de Pêssegos” o garoto é o irmão mais novo da família, servindo o chá para as irmãs reunidas em uma sala ele observa que existem vários (as) bonecos (as) em uma instante e ao virar para trás se depara com uma moça, assustado pelo que viu, pergunta para as irmãs se elas tinham visto também, não acreditando no irmão, uma das irmãs não ver a moça e pergunta se ele está doente, ao olhar novamente para trás o garoto ver a moça e corre atrás dela pela floresta até chegar ao horto de pêssego, onde encontra os espíritos das árvores que no passado foram todas cortadas. O garoto começa a chorar e os espíritos os culpam por não existir mais árvores, após o garoto explicar que ele chorava por não ter mais árvores e não pêssegos, que pêssegos poderiam comprar, mais que as árvores não, os espíritos lhe concedem a oportunidade de ver a horta de pêssegos florescer novamente, sendo assim, começa um ritual e após poucos várias pétalas começam a cair do céu até que o horto ficar novamente  florescido. Ao terminar o ritual, o garoto se depara com aquele lindo horto e avista novamente a moça, correndo ao seu encontro, o garoto percebe que o horto de pêssegos voltou a ser como era “sem árvores”, restando apenas uma, dando a perceber que a única árvore que restou era a moça.
O terceiro sonho "A Nevasca", retrata o líder de uma expedição junto com seu grupo, diante uma intensa nevasca. Cansados e com extremo frio, os homens caminham sobre a neve em busca de um abrigo. Esgotados de tanto caminhar, aos poucos um a um começa a parar e aparentemente falecer. Restando apenas o líder, ele tenta reanimar seus companheiros, no entanto acaba se entregando ao frio. Alguns minutos depois surge uma linda mulher que o envolve uma espécie de cobertor prateado. Ela chega a dizer-lhe que a neve é quente, ele começa a se entregar mais de repente percebe que a linda mulher é a morte, neste momento a aparência da linda mulher se transforma em uma figura horrenda. O líder então percebe que não deve desistir e começa a levantar e a reanimar seus companheiros. Aos poucos cada um vai se levantando e ao mesmo tempo a tempestade vai passando e eles conseguem avistar o acampamento. O quarto sonho "O Túnel", mostra o capitão de um exército entrando em um túnel, quando de repente é surpreendido por um cão. Ele começa a atravessar o túnel, e ao sair escuta passos e se depara com um dos seus soldados que estar morto, mais que pensa não estar.
No quinto sonho, "Corvos", um jovem pintor ao observar as pinturas de Van Gogh, acaba entrando em um dos quadros e se encontra com o  próprio pintor, que o pergunta o porque ele não está pintando a linda paisagem. No sexto sonho, "Monte Fuji em Vermelho", o Fuji entra em erupção e ao mesmo tempo ocorre um incêndio em uma das usinas nuclear próximo provocado por falha humana. Grande quantidade de gases nocivos a população são liberados no ar junto à radiação, dentre eles o Césio 137. A população sabendo do perigo começam a correr desesperada, muitos vêem a falecer e outros escolhem por se jogar no mar.
No sétimo sonho, "O Demônio Chorão", um viajante caminha por uma montanha e encontra um demônio de um cifre que se lamenta e chora por ter sido um homem ganancioso antigamente, pede perdão por no passado não ter feito as coisas corretas e se sente culpado transformar a terra em um depósito de resíduos tóxicos. O demônio conta ao viajante que a única comida que existe no local são os outros demônios e que as plantações sofreram mutações que nem ele. Ao caminhar o demônio de um cifre leva o viajante até os outros demônio “dois cifres” que estão chorando, sofrendo e pagando pelos seus erros. No último sonho, "Povoado dos Moinhos", o viajante chega a um povoado que é conhecido como Povoado dos Moinhos. Nesse povoado não existe energia elétrica e nem uma grande população. O viajante ao encontrar um idoso, o mesmo diz que as tecnologias tornaram as pessoas infelizes e que o importante é ter uma vida limpa que nem água cristalina.
Cada sonho relata situações distintas, mais voltadas à preocupação do meio ambiente. Existem momentos que estamos próximos de conseguir o que queremos mais que por preguiça ou até mesmo cansaço, acabamos desistindo dos nossos sonhos. O filme “Sonhos” também relata como o homem é ganancioso e pensa em si mesmo ultrapassando muitas vezes os seus limites. Este pensamento apenas prejudica as futuras gerações que no futuro irão sofrer pelos erros cometidos pelas presentes gerações.

Compartilhe:

Receba as notícias por e-mail!

Siga o Sou Eco nas redes sociais!

»Não deixe de ler:

Franklin Oliveira

Técnico em Meio Ambiente, Gestor Ambiental, Consultor Ambiental Autônomo, Auditor Interno de Sistema de Gestão Integrado nas normas ISO 9001:2008, ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:2007, atua na elaboração, implementação e acompanhamento de projetos e programas ambientais voltados à sustentabilidade, educação ambiental, impactos ambientais, gestão de riscos ambientais e gerenciamento de resíduos sólidos.

E-mail Canal no You Tube

Sou Ecológico - Muito Mais Eco
▲