Resenha do Filme: Código de Conduta

中文   Français   Deutsch   Italiano   日本   English   Россию   Español

31 outubro 2011


Elaboração: Franklin do Carmo Oliveira

CÓDIGO DE CONDUTA. Produção de F. Gary Gray. [s.l.]: Imagem Filmes, 2009. 1 DVD (108 min.), Widescreen, color.

O filme Código de Conduta conta a história de um pai de família, Clyde Shelton (Gerard Butler), que tem sua vida complemente transformada após uma invasão em sua casa, onde testemunha brutalmente o assassinato de sua mulher e filha por dois marginais. Os dois suspeitos são presos, mas devido ao sistema judicial falho apenas um dos assassinos é condenado à morte e outro é condenado a mais ou menos cinco anos de prisão. No decorrer do início do filme as próprias palavras do advogado e promotor público Nick Rice (Jamie Foxx) dizem exatamente como é o sistema judicial e como ele funciona. Na conversa com seu amigo e colega de trabalho Jonas Cantrell ele diz: “É um sistema imperfeito”, já na primeira conversa com Clyde diz: “Sinto muito o acordo já está feito”, “Eu sinto muito já fiz o acordo”, “É assim que o sistema funciona” após sozinho, ter tomando a decisão de fazer um acordo sobre o caso da morte da mulher e filha de Clyde sem mesmo tê-lo consultado antes.

Levando como partida essa decisão do advogado e promotor público Nick, e mais outros dois momentos do filme serão ditos a Ética e a Moral de cada um desses momentos.

1° Momento: Decisão e acordo feito pelo advogado e promotor público Nick sobre o caso da morte da mulher e filha de Clyde sem mesmo tê-lo consultado antes.

Ética e Moral: Antes de ter tomado a decisão de fazer um acordo com o criminoso, Nick deviria antes ter tido uma conversa com Clyde para que ambos decidissem qual melhor seria o acordo ou decisão a tomar, mesmo por que o caso envolvia a família de Clyde. Sendo assim, não foi ético da parte de Nick ter tomado sozinho à decisão de fazer o acordo, achando esta seria a melhor decisão para o caso, nem mesmo ter feito esse acordo sabendo que o bandido era culpado. Por outro lado a decisão tomada por Nick no ambiente judicial foi moral já que fazer um acordo está dentro das normas judiciais e sociais.

2° Momento: Dez anos se passam e Clyde decide aparecer e fazer justiça com as próprias mãos eliminando todos os envolvidos pelo inquérito que livrou um dos assassinos. Com a execução do segundo assassino, Clyde é procurado e considerado o principal suspeito, sendo assim, já esperando por sua prisão, ele aguarda em uma de suas residências, não sabendo todos, que tudo faz parte de um plano elaborado por Clyde. Seu plano é fazer com que todo sistema judicial corrupto cai sobre Nick o promotor como o mesmo diz em uma das conversas com Nick: “Eu vou acabar com o sistema, eu vou fazer todo esse sistema corrupto cair sobre a sua cabeça, vai ser bíblico”.

Ética e Moral: Mesmo tendo presenciado sua mulher e filha serem mortas e todo o sofrimento que passou a decisão de Clyde de fazer justiça com as próprias mãos eliminando todos os envolvidos no caso não foi uma atitude certa. Mesmo Clyde acreditando ter tomado uma atitude ética, não é ético tirar a vida de outras pessoas, e também, neste caso não é moral.

3° Momento: Próximo o final do filme, a Prefeita elabora uma reunião de segurança junto com as autoridades, essa reunião ficava localizada no 6° andar, na sala de convenções onde a mesma decide tomar qualquer providência junto às autoridades que eliminasse de vez Clyde Shelton.

Ética e Moral: Diante de toda a situação em que se encontrava o caso, a Prefeita decide então tomar qualquer providência que eliminasse Clyde Shelton de sua cidade como dito em suas próprias palavras: “Tenho uma pergunta simples: Por que Clyde Shelton ainda está na minha cidade? Eu me recuso a acreditar que um homem seja mais inteligente do que o departamento de segurança nacional, o FBI ou o departamento de polícia da Filadélfia, não importa como vamos fazer ou que justificativa obscura vamos usar senhores, não importa que leis teremos que violar, sei que existe algum artigo da lei de segurança nacional ao qual possamos recorrer, tirem-no daqui até amanhã”. Diante da dificuldade de parar Clyde a decisão na qual a prefeita pretendia tomar foi moral naquela circunstância, já que Clyde era considerado uma ameaça e estava provocando pânico em toda sociedade, porém ela poderia acabar tomando atitudes antiéticas para conseguir resolver essa situação.
Compartilhe:

Receba as notícias por e-mail!

Siga o Sou Eco nas redes sociais!

»Não deixe de ler:

Franklin Oliveira

Técnico em Meio Ambiente, Gestor Ambiental, Consultor Ambiental Autônomo, Auditor Interno de Sistema de Gestão Integrado nas normas ISO 9001:2008, ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:2007, atua na elaboração, implementação e acompanhamento de projetos e programas ambientais voltados à sustentabilidade, educação ambiental, impactos ambientais, gestão de riscos ambientais e gerenciamento de resíduos sólidos.

E-mail Canal no You Tube

Sou Ecológico - Muito Mais Eco
▲