Esse LIXO é Seu.

中文   Français   Deutsch   Italiano   日本   English   Россию   Español

12 dezembro 2011

Segundo Dias (2000), o lixo surgiu no dia em que os homens passaram a viver em grupos, fixando-se em determinados lugares e abandonando os hábitos de andar de lugar em lugar à procura de alimentos ou pastoreando rebanhos. A partir daí, processos visando à eliminação do lixo passaram a ser motivo de preocupação, embora as soluções visassem unicamente transferir os resíduos produzidos para locais afastados das aglomerações humanas primitivas.

No Brasil, o serviço sistemático de limpeza urbana foi iniciado oficialmente em 25 de novembro de 1880, na cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, então capital do Império. Nesse dia, o imperador D. Pedro II assinou o Decreto nº 3024, aprovando o contrato de "limpeza e irrigação" da cidade, que foi executado por Aleixo Gary e, mais tarde, por Luciano Francisco Gary, de cujo sobrenome origina-se a palavra gari, que hoje denomina-se os trabalhadores da limpeza urbana em muitas cidades brasileiras (MONTEIRO,2001).


É revoltante todos os dias você sair seja para onde for, olhar para qualquer lugar e ver várias pessoas que se dizem ser "seres humanos" jogando papel, copo, embalagens, latinhas, dentre mil outras coisas, na rua, pela janela do carro, ônibus, etc. Tamanha é a falta de educação. O que mais revolta, é saber que na casa/apartamento de cada um desses, eles/elas não fazem a mesma coisa.

Conheço várias pessoas que não estão nem aí. Nessa hora, são mil, os motivos que surgem para dizer o porque não jogou aquela embalagem ou latinha na lixeira. "Há, a lixeira é longe, não tem lixeira, não quero segurar, não sou eu que limpo, blá, blá, blá". Chega dá dor de cabeça! O que custa segurar, guardar ou até mesmo guardar na bolsa, na mochila e depois colocar no lugar certo? "Ah. esqueci. vai "melar" "sujar"... Complicado.

Já ouvir dizer que a mudança de hábito é difícil e que a culpa da população não ter uma educação ambiental é do governo. Mais continuo a não entender porque "VOCÊ" na rua joga o resíduo no chão, mais em sua casa ou apartamento não. Espero um dia descobrir (pensando).


Bom...estou escrevendo este texto exatamente às 03:14 de uma segunda-feira dia 12-12-11. E por sinal, estou morrendo de dor de cabeça. Não pretendo através deste texto, dizer de quem é a culpa ou mesmo resolver este problema. É apenas um pequeno desabafo. 

Sabe estas imagens? Reunir elas durante duas semanas para escrever esse texto. Todas foram tiradas do Fecebook. Fui salvando...salvando...até então decidir publicá-las aqui no meu querido blog. Acho que não preciso explicar as imagens ou preciso? Acho que não.

Uma das imagens que achei bem legal é esta aqui debaixo:



Interessante, não? Diga se você já não falou essa frase um dia? "Jogo lixo na rua, para garantir o emprego do gari". Haha. Sim, você já disse, mais com certeza não faria o que a segunda frase diz. Tenho certeza que nenhum de "VOCÊS" que jogam resíduos no chão fariam. Pense bem, mude seus hábitos.

Autor do texto: Franklin Oliveira.
Referência das Citações:

DIAS, G. F.,  ”Educação Ambiental: Princípios”. Editora Gaia, 6° ed. Revisada e Ampliada, São Paulo, 2000.

MONTEIRO, J. H. P.; ZVEIBIL, V. Z. Manual de gerenciamento integrado de resíduos sólidos. Rio de Janeiro: IBAM, 2001. p. 12
Compartilhe:

Receba as notícias por e-mail!

Siga o Sou Eco nas redes sociais!

»Não deixe de ler:

Franklin Oliveira

Técnico em Meio Ambiente, Gestor Ambiental, Consultor Ambiental Autônomo, Auditor Interno de Sistema de Gestão Integrado nas normas ISO 9001:2008, ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:2007, atua na elaboração, implementação e acompanhamento de projetos e programas ambientais voltados à sustentabilidade, educação ambiental, impactos ambientais, gestão de riscos ambientais e gerenciamento de resíduos sólidos.

E-mail Canal no You Tube

Sou Ecológico - Muito Mais Eco
▲