Resumo de Trabalhos (Curso Técnico em Meio Ambiente) - Parte 2

中文   Français   Deutsch   Italiano   日本   English   Россию   Español

10 novembro 2011

Essa é última parte do resumo de vários assuntos dados durante o Curso Técnico em Meio Ambiente. Espero que tenham gostado e que esses assuntos contribuam ainda mais com o seu aprendizado. Não deixem de compartilhar com seus amigos e colegas, afinal, conhecimentos tem que ser compartilhados e não deixe de comentar, pois a sua opinião é muito importante para mim.

AQUECEDOR SOLAR COM GARRAFAS PET

Objetivo e Importância

Economizar energia elétrica, beneficiar o meio ambiente com o reuso dos descartáveis sem qualquer processo industrial, conscientizar a todos de que todas as embalagens pós-consumo podem ter aplicação útil e chamar a atenção, sobre a pouca utilização do Sol como fonte de energia térmica no aquecimento de água, num país ensolarado como o Brasil.

Funcionamento

Funciona através do sistema termo sifão. O desnível é necessário para garantir a circulação da água no coletor, pela diferença de densidade entre a água quente e a fria.

Por que não a Verde?

Como a cor verde absorve calor, supostamente causará a degradação da garrafa mais rapidamente, comprometendo a eficiência do aquecedor, razão pela qual não a recomendamos.

Pontos Positivos

Economiza energia elétrica; É mais barato do que um aquecedor convencional, possibilitando às pessoas com menor poder aquisitivo, terem mais conforto; O reaproveitamento das embalagens que contribui muito na redução do volume de lixo destinado aos aterros

Pontos Negativos

Exige uma radiação solar direta; Não funciona a noite e nem quando está chovendo; É mais recomendável nos horários entre as 9 e 16 horas devido à maior incidência solar, mas depende do declínio do telhado da casa. Preferência as garrafas do tipo da Coca-Cola e Pepsi Cola, devido ao seu formato cônico.

COMPOSTAGEM DO LODO INDUSTRIAL
O que é?

São resíduos líquidos de processos industriais gerado em todos os setores das industrias;
Objetivo:
Objetivo da compostagem é a obtenção do fertilizante orgânico através de resíduos industriais que outrora seriam destinados em aterro ou descartados indevidamente.

Ete - estação de tratamento
Sistema de gradiamento
Caixas elevadas
Dosagem do polímero
Floculador
Centrífuga
Transporte
Armazenamento

Processo da compostagem

Após a formação das leiras faz-se o acompanhamento do processo de compostagem. Mede-se diariamente a temperatura e observação de outros fatores, como: presença de cogumelos, presenças de odor e vapor d’água, presença de chorume.

Formação da leiras

Temperatura: Através da temperatura identificamos as fases do processo da compostagem. Fases: Fitotoxica ou fase de ativação; Biodegradação ou fase ativa; Bioestabilização ou fase de cura

Revolvimento

São realizados para promover a oxigenação das leiras. A aeração é necessária para que os microorganismos atuem adequadamente no processo.
Este é um resumo de vários assuntos dados durante o Curso Técnico em Meio Ambiente. O assunto é grande, sendo assim vou postar em partes. Ao final dessa postagem clique em (Parte 3 - Read Part 3) para continuar lendo o assunto.

ENERGIA EÓLICA
O que é?

É transformação da energia cinética dos ventos em energia elétrica. A conversão de energia é realizada através de um aerogerador acoplado a um eixo que gira através da incidência do vento nas pás da turbina.

Como funciona?
São grandes hélices (como cata-ventos gigantes) instaladas em altas torres ou em preferencialmente altos. A Hélice é movida pela velocidade do vento. A Hélice é movida pela velocidade do vento. A Energia Elétrica é produzida por um Gerador, na Casa de Força.

Para a escolha do local onde serão instaladas as torres é necessário avaliar as características dos ventos: Velocidade; Regularidade; Não sofram turbulências; Não estejam sujeitos a fenômenos climáticos. 

Vantagens:

É inesgotável; Não emite gases poluentes nem gera resíduos de longa duração; Contribui para reduzir a elevada dependência energética do exterior e não recorre à importação de combustíveis; Os aerogeradores não necessitam de abastecimento de combustível e requerem escassa manutenção, uma vez que só se procede à sua revisão em cada seis meses;  Permitirá aos países o cumprimento dos compromissos do Protocolo de Quioto.

Desvantagens:

Interferências eletromagnéticas (reflexões de ondas); Emissão de ruídos (devido ao funcionamento mecânico e ao efeito aerodinâmico); Dependendo do local ação na migração de aves.

O vento constitui uma imensa fonte de energia natural à partir da qual é possível produzir grandes quantidades de energia elétrica. O custo de geradores eólicos tem um preço elevado, mas o vento é uma fonte inesgotável enquanto o petróleo não.  Em um país subdesenvolvido como o Brasil, onde quem governa são os empresários, não há o interesse de gastar dinheiro em uma nova fonte de energia, eles preferem continuar usando o petróleo.

PROJETO DE ABATIMENTO DE ÓXIDO NITROSO NA PLANTA DE ÁCIDO NÍTRICO DA FAFEN-BA

Classificação da tecnologia de abatimento de N2O. As tecnologias em potencial (provadas e em desenvolvimento) para tratar emissões de N2O em plantas de ácido nítrico foram classificadas da seguinte forma, com base na localização do dispositivo de tratamento no processo:

Primário: O N2O é impedido de formar-se nas telas catalíticas de oxidação.

Secundário: O N2O, uma vez formado, é eliminado em qualquer ponto entre a saída das telas catalíticas de oxidação da amônia e a entrada da torre de absorção.

Terciário: O N2O é removido no gás de exaustão, depois da torre de absorção e antes da turbina de expansão.

Quaternário: O N2O é removido depois da turbina de expansão e antes da chaminé.

Tecnologia selecionada para a atividade de projeto:

Este projeto compreende a instalação de catalisadores secundários dentro do reator (que têm como objetivo único decompor o óxido nitroso logo após ele ser formado), logo abaixo do sistema de tela catalítica primário. O catalisador gasto será removido e substituído pelo fornecedor de tecnologia, o qual desenvolveu a tecnologia selecionada – que não gera resíduos líquidos, sólidos ou gasosos. Não são esperados impactos ambientais futuros. Após a implementação do projeto, o N2O residual será convertido em N2 e O2 para evitar os efeitos do alto aquecimento global da GHG (Greenhouse Gas Protocol – Protocolo de Gases com Efeito Estufa). A instalação de um catalisador secundário proporciona um impacto ambiental positivo porque reduz as emissões de N2O na atmosfera e, resultando em uma qualidade de ar geral melhor.

Conclusão:

A implantação da atividade de projeto não causa quaisquer impactos ambientais negativos em relação aos estimados para o cenário de referência. Pelo contrário, sua instalação possui um impacto ambiental positivo, pois reduz as emissões de N2O para a atmosfera que é notadamente um dos principais contribuintes para o agravamento do efeito estufa e, decorrente deste, causador das mudanças climáticas que têm atingido local e globalmente o meio ambiente.

A atividade de projeto envolve a instalação de um sistema de catalisador secundário dentro do reator, imediatamente abaixo do sistema de telas catalíticas primárias. O catalisador quando desativado, será removido e substituído pelo fornecedor da tecnologia que será, portanto, o responsável pelo reaproveitamento e uso do catalisador gasto. Não há expectativa de geração adicional de resíduos sólidos que não a mencionada. No que se refere aos efluentes hídricos ou outros poluentes atmosféricos em nível local, o projeto não ocasionará qualquer alteração (aumento ou redução) direta ou indiretamente.

Além disso, o projeto contribui para o desenvolvimento sustentável nacional, posto que haverá a transferência de tecnologia associada ao fornecimento do sistema catalítico.

Nota do Autor: 

Essa é última parte do resumo de vários assuntos dados durante o Curso Técnico em Meio Ambiente. Espero que tenham gostado e que esses assuntos contribuam ainda mais com o seu aprendizado. Não deixem de compartilhar com seus amigos e colegas, afinal, conhecimentos tem que ser compartilhados e não deixe de comentar, pois a sua opinião é muito importante para mim.
Compartilhe:

Receba as notícias por e-mail!

Siga o Sou Eco nas redes sociais!

»Não deixe de ler:

Franklin Oliveira

Técnico em Meio Ambiente, Gestor Ambiental, Consultor Ambiental Autônomo, Auditor Interno de Sistema de Gestão Integrado nas normas ISO 9001:2008, ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:2007, atua na elaboração, implementação e acompanhamento de projetos e programas ambientais voltados à sustentabilidade, educação ambiental, impactos ambientais, gestão de riscos ambientais e gerenciamento de resíduos sólidos.

E-mail Canal no You Tube

Sou Ecológico - Muito Mais Eco
▲