Resumo de Trabalhos (Curso Técnico em Meio Ambiente) - Parte 1

中文   Français   Deutsch   Italiano   日本   English   Россию   Español

10 novembro 2011

Este é um resumo de vários assuntos dados durante o Curso Técnico em Meio Ambiente. O assunto é grande, sendo assim vou postar em partes. Ao final dessa postagem clique em (Parte 2 - Read Part 2) para continuar lendo sobre o assunto. Não esqueça de compartilhar e comentar, a sua opinião é muito importante para mim.

BENEFICIAMENTO DA CASCA DE COCO VERDE

O processo de obtenção do pó e da fibra da casca de coco verde é feito mecanicamente com a utilização de um conjunto de equipamento desenvolvidos em parceria da Embrapa Agroindústria Tropical com a metalúrgica FORTALMAG. A produção de pó e fibra da casca de coco verde é constituída basicamente de três etapas:

TRITURAÇÃO

(Nesta etapa a casca de coco é cortada e triturada por um rolo de facas fixas).

PRENSAGEM

(A extração desta umidade via compressão mecânica possibilita a extração conjunta dos sais. A eficiência desta etapa é de importância fundamental para a perfeita seleção do material na etapa seguinte e também para a adequação do nível de salinidade do pó obtido no processamento.)

SELEÇÃO

(Após a prensagem são separadas as fibras do pó na máquina selecionadora que é equipada com um rolo de facas fixas e uma chapa perfurada. O material é turbilhonado ao longo do eixo da máquina, o que faz com que o pó caia pela chapa perfurada e a fibra saia no fim do percurso.)

      A fibra pode ser usada na confecção de diversos produtos de utilidade para a agricultura, indústria e construção civil, em substituição a outras fibras naturais e sintéticas.
      A fibra, tecida em forma de manta é um excelente material para ser usado em superfícies sujeitas à erosão provocada pela ação de chuvas ou ventos, e em qualquer área de declive acentuado ou de ressecamento rápido.
      Compósitos reforçados com fibras naturais pode ser uma alternativa viável em relação aqueles que usam fibras sintéticas como as fibras de vidro. As fibras naturais podem conferir propriedades interessantes em materiais poliméricos, como: boa rigidez, melhor resistência ao impacto e características de isolamento térmico e acústico.

Pode gerar materiais plásticos com propriedades adequadas para aplicações práticas, reduzindo o tempo de decomposição do plástico.

BIOCOMBUSTÍVEL
 O que é?

Combustível produzido de fontes renováveis da biomassa, matéria prima renovável em abundância para fabricar o biocombustível – combustível de origem vegetal, como cana de açúcar, mamona, girassol, óleos vegetais e da madeira, derivados de leite, gordura animal, entre outros.

Objetivo:

O combustível biológico é uma alternativa viável para substituir o petróleo e diminuir as emissões de gases tóxicos na atmosfera como o enxofre e carbono. Aumentar a eficiência global e reduzir riscos para a saúde humana e o meio ambiente, reduzir os impactos ambientais e de saúde

Ciclo do Bicombustível:

O ciclo ou cadeia de funcionamento dos biocombustíveis começa com a energia vinda do sol. As plantas absorvem esta energia através da fotossíntese a armazenam sob várias formas. Uma destas formas é o óleo vegetal que pode ser convertido em biodiesel e utilizado em veículos de transportes. Os veículos e motores por sua vez, extraem a energia do biodiesel e liberam CO2, que pode ser reutilizado pelas plantas.

·                    Processo:

A molécula de óleo vegetal é formada por três ésteres ligados a uma molécula de glicerina, o que faz dele um triglicerídeo. O processo para a transformação do óleo vegetal em biodiesel chama-se TRANSESTERIFICAÇÃO, que nada mais é do que a separação da glicerina do óleo vegetal. A glicerina torna o óleo mais denso e viscoso. Durante o processo de Transesterificação, a glicerina é removida do óleo vegetal, deixando o óleo mais fino e reduzindo a viscosidade. Para se produzir o biodiesel, os ésteres no óleo vegetal são separados da glicerina. Os ésteres são a base do biodiesel. Durante o processo, a glicerina é substituída pelo álcool, proveniente do etanol ou metanol. Damos preferência ao etanol por ser menos agressivo que o metanol. Para realizar a quebra da molécula, precisamos de um catalisador, que pode ser o hidróxido de sódio ou hidróxido de potássio. Com a quebra, a glicerina se une a soda caustica (hidróxido de sódio) e decanta (por ser mais pesada que o biodiesel). O éster se liga ao álcool, formando o biodiesel. A reação do biodiesel ocorre entre um ácido (óleo vegetal) e duas bases (etanol e catalisador). A quantidade de catalisador usada no processo de fabricação do biodiesel irá depender do pH do óleo vegetal. O sucesso da reação depende da capacidade de medir o pH, ou mesmo, da acidez do óleo vegetal.

·                    Importância:

Combustível renovável ecologicamente correto.

·                    Avaliação Positiva:

O uso do petróleo como fonte energética representa uma das maiores causas da poluição do ar, e sua queima contribui para o efeito estufa. -A energia renovável é uma alternativa para reduzir o efeito estufa. Além disso, o uso dela faz com que o país diminua a dependência do combustível fóssil;

Aumenta o número de empregos no processo de colheitas de cana de açúcar e outros;

Reduzir a poluição do ar;

Pode ser utilizado em motores diesel, puro ou misturado com diesel fóssil numa proporção que vai de 1 a 99%.

É mais seguro do que o diesel de petróleo. O ponto de combustão do biodiesel na sua forma pura é de mais de 300 F contra 125 F do diesel comum. Equipamentos a biodiesel são, portanto, mais seguros.

A exaustão do biodiesel é menos ofensiva. Seu uso resulta numa notável redução dos odores, o que é um benefício real em espaços confinados. Seu cheiro se assemelha um pouco com o cheiro de batata frita. Não foram noticiados casos de irritação aos olhos.

Biodiesel não requer armazenamento especial. Na sua forma natural pode ser armazenado em qualquer lugar onde o petróleo é armazenado, e pelo fato de ter maior ponto de fusão é ainda mais seguro o seu transporte.
O biodiesel é biodegradável e não tóxico.

Funciona em motores convencionais.

É renovável, contribuindo para a redução do dióxido de carbono.

Os gases da combustão do óleo vegetal não emitem dióxido de enxofre, um dos causadores da chamada chuva ácida.

Pode ser usado sozinho ou misturado em qualquer quantidade com diesel de petróleo.

Aumenta a vida útil dos motores por ser mais lubrificante.

·                    Negativa:

A queima desses combustíveis ocorre de maneira mais limpa que a gasolina, produzindo menos hidrocarbonetos e monóxido de carbono, porém, essa queima produz formaldeído, considerada um gás cancerígeno. 

No Brasil, a produção de etanol gera como resíduos o bagaço da cana de açúcar e o vinhoto, que é poluente e normalmente é rejeitado a céu aberto, em rios e lagoas, provocando danos ao meio ambiente, embora exista tecnologia capaz de biodigerir o vinhoto e transformá-lo em gás natural. O preço do biodiesel é ainda elevado.

Compartilhe:

Receba as notícias por e-mail!

Siga o Sou Eco nas redes sociais!

»Não deixe de ler:

Franklin Oliveira

Técnico em Meio Ambiente, Gestor Ambiental, Consultor Ambiental Autônomo, Auditor Interno de Sistema de Gestão Integrado nas normas ISO 9001:2008, ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:2007, atua na elaboração, implementação e acompanhamento de projetos e programas ambientais voltados à sustentabilidade, educação ambiental, impactos ambientais, gestão de riscos ambientais e gerenciamento de resíduos sólidos.

E-mail Canal no You Tube

Sou Ecológico - Muito Mais Eco
▲